Obesidade e genética

O que é a obesidade?

A obesidade é definida como uma acumulação anormal ou excessiva de gordura que pode ser prejudicial para a saúde (1). Entre os diferentes métodos para medir e classificar a obesidade, o índice de massa corporal (IMC) é o mais amplamente utilizado. O IMC é calculado dividindo o peso corporal em quilogramas por altura, em metros quadrados (kg/m2). Assim, são estabelecidos diferentes graus de obesidade, como se mostra no quadro seguinte (2):

 

 

Grau 1 IMC entre 30 e 35 kg/m².  
Grau 2 (Obesidade severa) IMC entre 35 e 40 kg/m²  
Grau 3 (Obesidade mórbida) IMC superior a 40 kg/m².  

 

 

Nos adultos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) identifica como obesas (1) as pessoas com um IMC maior ou igual a 30. A progressão para o estado de obesidade envolve uma mudança nas características do tecido adiposo e o desenvolvimento de inflamação crónica de baixo grau. Este estado é caracterizado pelo aumento dos níveis de ácidos gordos livres no sistema circulatório, factores pró-inflamatórios e activação e infiltração de células imunitárias nos locais de inflamação (3). Além disso, a obesidade é frequentemente acompanhada por um perfil específico de dislipidemia, que é definida como uma anomalia metabólica que leva a um aumento das concentrações circulatórias de colesterol e triglicéridos no sangue, sendo um dos principais factores de risco para o desenvolvimento de doenças cardíacas isquémicas (4, 5).

 

Riscos associados à obesidade

Os pacientes com obesidade correm um risco elevado de desenvolver uma série de condições que podem afectar significativamente a sua vida diária, bem como aumentar os riscos de mortalidade (3), incluindo as seguintes:

  • Doenças cardiovasculares, tais como doença coronária, insuficiência cardíaca, hipertensão, acidente vascular cerebral, fibrilação atrial, e morte cardíaca súbita (6).
  • Perturbações gastrointestinais, incluindo doença do refluxo gastro-esofágico, dispepsia funcional, síndrome do intestino irritável, diverticulose, doença inflamatória intestinal, pancreatite e cancro gastrointestinal. Além disso, a obesidade pode influenciar negativamente a resposta a tratamentos específicos para doenças gastrointestinais (7).
  • A diabetes tipo 2, especialmente quando a obesidade ocorre na infância e adolescência, aumenta o risco de desenvolvimento da diabetes tipo 2 em jovens e adultos jovens (8).
  • Perturbações músculo-esqueléticas. O impacto dependerá do grau de obesidade presente. O principal problema a este respeito reside na carga sobre o sistema músculo-esquelético ao longo do tempo, resultando principalmente na deformação e enfraquecimento ósseo e muscular (3). As condições possíveis incluem osteoartrite, dores lombares baixas, osteoporose, e artrite reumatóide (9).
  • Respiratory problems, cause changes in lung and chest wall mechanics, which in turn cause asthma and asthma-like symptoms such as dyspnea or wheezing (10).
  • Problemas psicológicos. Em particular, existe uma relação recíproca entre a depressão e a obesidade. A obesidade aumenta o risco de depressão e a depressão pode prever o desenvolvimento da obesidade (11). Além disso, existem numerosas vias que ligam o stress e a obesidade (12).
  • O cancro. A obesidade é um factor de risco para vários tipos de cancro, incluindo cancro da mama, cólon, endometrial, ovariano, pancreático, hepático, e gástrico. Os doentes com cancro obesos tendem a ter um prognóstico pior, uma resposta mais fraca aos tratamentos normais, e são mais propensos a desenvolver doenças metastáticas do que as pessoas de peso normal (13).
  • COVID-19. Vários estudos científicos descobriram que as pessoas com obesidade têm um risco acrescido de COVID-19 grave e de morrerem da mesma (14).

Obesidade em números

De acordo com dados da OMS, a obesidade quase triplicou em todo o mundo desde 1975. Além disso, de acordo com as suas últimas estimativas, em 2016, mais de 650 milhões de adultos com 18 ou mais anos eram obesos, correspondendo a 13% da população mundial nessa faixa etária.

A maioria da população mundial vive em países onde o excesso de peso e a obesidade reclamam mais vidas do que o baixo peso, tal como definido por um IMC abaixo do que é considerado saudável.

Quanto à obesidade infantil, em 2016, a OMS informa que 41 milhões de crianças com menos de cinco anos de idade tinham excesso de peso ou eram obesas. No mesmo ano, mais de 340 milhões de crianças e adolescentes (com idades compreendidas entre os 5-19 anos) apresentavam excesso de peso ou eram obesos (1).

Como exemplo ilustrativo do aumento da obesidade nos países desenvolvidos, mostramos um gráfico de um estudo realizado na população dos EUA (Figura 1), onde, de 1999-2000 a 2017-2018, a prevalência da obesidade aumentou de 30,5% para 42,4%, e a prevalência da obesidade grave aumentou de 4,7% para 9,2% (15).

 

Figura 1. Tendências em obesidade ajustada à idade e prevalência de obesidade grave entre adultos com 20 anos de idade ou mais: Estados Unidos da América, 1999-2000 a 2017-2018. (15)

 

Causas

A obesidade é uma doença multifactorial, que pode ser causada por um desequilíbrio energético, algumas condições médicas genéticas ou endócrinas, ou certos medicamentos.

  • Um desequilíbrio energético significa que a quantidade de calorias (energia) obtida de alimentos e bebidas é diferente da quantidade de calorias que o corpo utiliza. Quando são ingeridas mais calorias do que são utilizadas, o corpo armazena gordura, o que eventualmente leva ao desenvolvimento da obesidade (16).
  • Em termos de condições médicas genéticas, verificou-se que várias síndromes de origem genética estão associadas ao desenvolvimento da obesidade. Estas incluem o síndroma de Prader-Willi e o síndroma de Bardet-Bield (17,18).
  • No que diz respeito às doenças endócrinas, destacam-se as seguintes:
    • O hipotiroidismo, embora uma relação causal possa ser controversa, uma vez que, embora seja evidente que o hipotiroidismo está associado ao aumento de peso, nos últimos anos foram realizados estudos que indicam que as alterações na hormona estimulante da tiróide podem ser secundárias à obesidade (19).
    • Síndrome de Cushing, uma desordem causada por um desequilíbrio hormonal caracterizado principalmente por um excesso de cortisol (16).
    • Alguns tumores, tais como o craniofaringioma, que podem levar à obesidade grave ao desenvolverem-se perto de partes do cérebro que controlam a fome (16).
  • Finalmente, a obesidade pode ser causada por efeitos secundários de certos medicamentos, tais como corticosteróides, anti-hipertensivos, anti-hiperglicémicos, ou antidepressivos (20

Factores de risco

Os factores de risco associados à obesidade podem ser não genéticos ou ambientais, tais como inactividade física, idade, maus hábitos alimentares, ou mesmo falta de sono; e genéticos, dados principalmente por certas mutações genéticas que ocorrem em genes relacionados com o metabolismo (21, 22). Há um conjunto crescente de provas que ligam as interacções genes-ambientais com a obesidade. Uma multiplicidade de estudos revelou uma influência de 40-70% de factores genéticos nas alterações do IMC (23). Além disso, existem vários estudos de intervenção dietética que demonstram a relação entre a resposta metabólica a dietas de baixas calorias e várias variantes genéticas, especialmente as relacionadas com a obesidade, diabetes tipo 2, metabolismo, e preferências alimentares. Os resultados obtidos nestes estudos tendem a apoiar intervenções dietéticas de precisão, considerando as predisposições genéticas dos indivíduos.

 

Prevenção

A maioria dos casos de obesidade e condições relacionadas são evitáveis. As recomendações da OMS nesta área são as seguintes: limitar o consumo de energia de gorduras e açúcares; aumentar o consumo de frutas, vegetais, leguminosas, grãos inteiros e nozes; e praticar actividade física regular (1). Para além destas recomendações, as medidas de prevenção podem variar muito dependendo do grau de obesidade, predisposição, e causas da obesidade, especialmente nos casos em que a causa é genética.

 

24Genetics y obesidad

Quando se trata de uma dieta equilibrada, é de grande importância ter em conta as particularidades de cada pessoa. A Nutrigenética, definida como a disciplina que estuda a resposta à nutrição de acordo com cada genótipo, é essencial para ter em conta estas particularidades. Com o  teste nutrigenetica 24Genetics , é possível estudar, para cada pessoa, a predisposição para perder peso, a maior ou menor eficácia dos vários tipos de dieta, e outros factores relacionados com a alimentação, tais como as tendências para a alimentação emocional, snacking, ou consumo de doces, entre muitos outros dados.

Além disso, o desporto é o outro factor fundamental para prevenir e combater a obesidade. A fim de tirar o máximo proveito das sessões de treino, é necessário planificá-las inteligentemente, com base no conhecimento das nossas capacidades e limitações. O  fornece informações sobre o desporto cardiovascular teste desportivo 24Genetics fornece informações sobre os perfis cardiovascular, metabólico e muscular ou sobre o risco de sofrer lesões. Estas informações, juntamente com os conselhos de um profissional, podem ajudá-lo a definir uma rotina desportiva óptima.

 

Bibliografia:

1. Obesidad y sobrepeso [Internet]. [cited 2022 Feb 17]. Available from: https://www.who.int/es/news-room/fact-sheets/detail/obesity-and-overweight

2. Meldrum DR, Morris MA, Gambone JC. Obesity pandemic: causes, consequences, and solutions-but do we have the will? Fertility and sterility [Internet]. 2017 Apr 1 [cited 2022 Feb 18];107(4):833–9. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28292617/

3. Fruh SM. Obesity: Risk factors, complications, and strategies for sustainable long‐term weight management. Journal of the American Association of Nurse Practitioners [Internet]. 2017 Oct 1 [cited 2022 Feb 17];29(Suppl 1):S3. Available from: /pmc/articles/PMC6088226/

4. Trautwein EA, McKay S. The Role of Specific Components of a Plant-Based Diet in Management of Dyslipidemia and the Impact on Cardiovascular Risk. Nutrients [Internet]. 2020 Sep 1 [cited 2022 Feb 17];12(9):1–21. Available from: /pmc/articles/PMC7551487/

5. Musunuru K. Atherogenic Dyslipidemia: Cardiovascular Risk and Dietary Intervention. Lipids [Internet]. 2010 Oct [cited 2022 Feb 17];45(10):907. Available from: /pmc/articles/PMC2950930/

6. Koliaki C, Liatis S, Kokkinos A. Obesity and cardiovascular disease: revisiting an old relationship. Metabolism: clinical and experimental [Internet]. 2019 Mar 1 [cited 2022 Feb 17];92:98–107. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30399375/

7. Emerenziani S, Guarino MPL, Asensio LMT, Altomare A, Ribolsi M, Balestrieri P, et al. Role of Overweight and Obesity in Gastrointestinal Disease. Nutrients [Internet]. 2020 Jan 1 [cited 2022 Feb 17];12(1). Available from: /pmc/articles/PMC7019431/

8. la Sala L, Pontiroli AE. Prevention of Diabetes and Cardiovascular Disease in Obesity. International Journal of Molecular Sciences [Internet]. 2020 Nov 1 [cited 2022 Feb 18];21(21):1–17. Available from: /pmc/articles/PMC7663329/

9. Anandacoomarasamy A, Caterson I, Sambrook P, Fransen M, March L. The impact of obesity on the musculoskeletal system. International Journal of Obesity 2008 32:2 [Internet]. 2007 Sep 11 [cited 2022 Feb 22];32(2):211–22. Available from: https://www.nature.com/articles/0803715

10. Dixon AE, Peters U. The effect of obesity on lung function. Expert review of respiratory medicine [Internet]. 2018 Sep 2 [cited 2022 Feb 18];12(9):755–67. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30056777/

11. Luppino FS, de Wit LM, Bouvy PF, Stijnen T, Cuijpers P, Penninx BWJH, et al. Overweight, obesity, and depression: a systematic review and meta-analysis of longitudinal studies. Archives of general psychiatry [Internet]. 2010 Mar [cited 2022 Feb 18];67(3):220–9. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20194822/

12. Tomiyama AJ. Stress and Obesity. Annual review of psychology [Internet]. 2019 Jan 4 [cited 2022 Feb 18];70:703–18. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29927688/

13. O’Flanagan CH, Bowers LW, Hursting SD. A weighty problem: metabolic perturbations and the obesity-cancer link. Hormone molecular biology and clinical investigation [Internet]. 2015 Aug 1 [cited 2022 Feb 21];23(2):47–57. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26167982/

14. Mohammad S, Aziz R, al Mahri S, Malik SS, Haji E, Khan AH, et al. Obesity and COVID-19: what makes obese host so vulnerable? Immunity and Ageing. 2021 Dec 1;18(1). 

15. Hales CM, Carroll MD, Fryar CD, Ogden CL. Prevalence of Obesity and Severe Obesity Among Adults: United States, 2017-2018 Key findings Data from the National Health and Nutrition Examination Survey. 2017 [cited 2022 Feb 21]; Available from: https://www.cdc.gov/nchs/products/index.htm.

16. Overweight and Obesity | NHLBI, NIH [Internet]. [cited 2022 Feb 18]. Available from: https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/overweight-and-obesity

17. Forsythe E, Beales PL. Bardet-Biedl syndrome. European journal of human genetics: EJHG [Internet]. 2013 Jan [cited 2022 Feb 18];21(1):8–13. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22713813/

18. Tan Q, Orsso CE, Deehan EC, Triador L, Field CJ, Tun HM, et al. Current and emerging therapies for managing hyperphagia and obesity in Prader-Willi syndrome: A narrative review. Obesity reviews: an official journal of the International Association for the Study of Obesity [Internet]. 2020 May 1 [cited 2022 Feb 18];21(5). Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31889409/

19. Sanyal D, Raychaudhuri M. Hypothyroidism and obesity: An intriguing link. Indian journal of endocrinology and metabolism [Internet]. 2016 Jul 1 [cited 2022 Feb 18];20(4):554–7. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27366725/

20. Wharton S, Raiber L, Serodio KJ, Lee J, Christensen RAG. Medications that cause weight gain and alternatives in Canada: a narrative review. Diabetes, Metabolic Syndrome and Obesity: Targets and Therapy [Internet]. 2018 [cited 2022 Feb 18];11:427. Available from: /pmc/articles/PMC6109660/

21. Heianza Y, Qi L. Gene-Diet Interaction and Precision Nutrition in Obesity. International journal of molecular sciences [Internet]. 2017 Apr 7 [cited 2022 Feb 18];18(4). Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28387720/

22. Hanson JA, Huecker MR. Sleep Deprivation. StatPearls [Internet]. 2022 [cited 2022 Feb 18]; Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31613456/

23. Willer CJ, Speliotes EK, Loos RJF, Li S, Lindgren CM, Heid IM, et al. Six new loci associated with body mass index highlight a neuronal influence on body weight regulation. Nature genetics [Internet]. 2009 Jan [cited 2022 Feb 21];41(1):25. Available from: /pmc/articles/PMC2695662/

 

Genética e lesões desportivas

Genética e lesões desportivas

Lesões desportivas As lesões são uma das maiores preocupações dos atletas, uma vez que, independentemente do desporto que praticam, estão expostos a elas. Muitas vezes os meios de comunicação social fazem eco de que certas figuras do desporto recaem continuamente da...

read more
Privacidade dos dados. Proteger o seu património genético.

Privacidade dos dados. Proteger o seu património genético.

Na era digital, a tecnologia está a avançar a passos largos e isso permitiu que a compreensão da nossa genética atingisse níveis sem precedentes. Nesta fascinante viagem de auto-descoberta, nós da 24Genetics orgulhamo-nos de estar na vanguarda, oferecendo-lhe uma...

read more
Blue Monday y el Trastorno Afectivo Estacional

Blue Monday y el Trastorno Afectivo Estacional

Blue Monday es considerado por muchos el día más triste o deprimente del año. Este día se fija en el calendario el tercer lunes de enero, en una época en la que muchas personas sufren de trastorno afectivo estacional (TAE). De acuerdo con la psicología del color, el...

read more

What is a nutrigenetic study for?

Nutrigenetics is defined as the science that studies the effect that our genes have on the response to various dietary components. Therefore, a nutrigenetic study will allow us to adapt the food we eat to our needs. The fundamental hypotheses on which the science of...

read more
Saúde Cardiovascular

Saúde Cardiovascular

O órgão do coração é uma bomba potente que circula sangue, nutrientes e oxigénio pelo corpo e, surpreendentemente, é o primeiro órgão a formar-se durante o desenvolvimento embrionário. Na medicina grega, era considerado o órgão mais importante, e hoje em dia, o facto...

read more
Herança Genética e Ancestralidade

Herança Genética e Ancestralidade

O nosso blogue tenta sempre ser informativo e acessível, e escrevemo-lo com o objectivo de o tornar simples e compreensível para qualquer leitor. Nesta ocasião, deixámo-nos ser um pouco mais técnicos a fim de explicar certos fundamentos da ascendência genética. Mas...

read more
Efeitos do sol na sua pele

Efeitos do sol na sua pele

Efeitos do sol sobre a pele A exposição da nossa pele à radiação ultravioleta (UV) do sol, e a absorção desta energia ultravioleta, provoca alterações nos sinais químicos, hormonais e neuronais do nosso corpo, que têm efeitos subsequentes nas células imunitárias e na...

read more
    0
    Trolley
    O seu carrinho está vazio
      Calculate Shipping
      Apply Coupon